Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Black & gray

Porque a vida não é só "preto e branco". O cinzento também existe. E é a possibilidade de podermos optar pelo cinzento, em tantas situações, que torna a nossa vivencia tão rica.

Black & gray

Porque a vida não é só "preto e branco". O cinzento também existe. E é a possibilidade de podermos optar pelo cinzento, em tantas situações, que torna a nossa vivencia tão rica.

26.Jan.18

Pelo Sporting...

Pelo Sporting

Eu sou um eterno apaixonado

é contigo que eu quero estar casado

O amor da minha vida!

 

Não sei se alguma vez comentei por aqui que sou adepta fervorosa (não fanática) do Sporting, contrariando a tendencia do resto da família, mas herdando do meu pai este amor.

O meu pai, nasceu numa família de benfiquistas e lembro-me de contar que chegou a receber dinheiro de jogadores do Benfica (que um dia foram a um restaurante da terra) para mudar de clube. Pressão que não surtiu efeito e, o meu pai, do contra, lá foi remando contra a maioria.

Mais tarde, já em adulto, e quando teve oportunidade, fez-se sócio e mais tarde inscreveu-me também.

Durante alguns anos da minha adolescencia acompanhei sempre o meu pai, naqueles jogos em casa aos domingos à tarde, de cachecol ao pescoço e num lugar cativo da 3ª fila, no antigo estádio de Alvalade.

Depois veio o namoro e deixei de o acompanhar (que arrependida estou) e ele, deixou também de ser espectador assíduo em Alvalade.

Perdi o meu pai em 1999. Faleceu na época em que finalmente o Sporting foi campeão com Augusto Inácio (1999/2000). E o meu filho nasceu exactamente em 2000.

Por pressão do meu marido, nos seus primeiros 2, 3 anos dizia ser do "Poto" mas fui-lhe incutindo o amor pelo nosso clube e, quando já entendia, disse-lhe que era uma forma de homenagear o avô que só conhece de fotografia.

Mais tarde ingressou na equipa de futebol de competição do SCP, com 8 anos. E se o coração já era verde passou a ser de leão.

Hoje somos os 2 a sofrer e a torcer pelo Sporting. E amanhã iremos também torcer para conquistarmos o primeiro troféu da época - a taça da liga.

E se formos campeões, lá estaremos no Marquês (ou onde for) a festejar.

Nós os 2 ... e o meu pai.

 

 

26.Jan.18

Nikita

Fui agora surpreendida com a música de fundo que tocava - Nikita de Elton John.

Bateu uma saudade, uma lagrimita quase a cair.

Fez-me reviver a minha adolescência, o meu 6º ano em que esta música foi um êxito internacional.

De tão conhecida que era, foi escolhida para estudarmos na disciplina de Inglês.

E não é que, após várias tentativas, a coisa resultou?

O que me deixa saudades são os amigos da época que deixei de ver, a vida tão facilitada que tinhamos na altura, a inocência da adolescencia e o próprio professor. Daqueles professores que marcam, com quem aprendemos muito de inglês mas também da vida. Um exemplo, sem dúvida. Alguém que nos fez chorar no último dia de aulas por sabermos que não iriamos mais voltar a juntarmo-nos.

Esta música intemporal vai estar sempre ligada a este professor e à amizade dessa turma.

Sou uma saudosista incorrigivel!

17.Jan.18

Flash do dia #13

Acabei de ler:

"Fixo-me no futuro porque é nele que vou viver o resto da minha vida".

Tão acertado.

E às vezes vivemos mais o passado, agarrado a más recordações e esquecemo-nos de construir o futuro e prepará-lo para o vivermos libertos e em harmonia.

17.Jan.18

A Uber cá de casa

Apesar de nunca ter utilizado os serviços da Uber, pelos testemunhos de amigos meus, penso que veio preencher uma necessidade do mercado e que existem, efectivamente, clientes para este serviço.

Mas, pelo que me parece, a Uber é capaz de ter os dias contados em Portugal, pelos lobbies dos taxistas e pela própria legislação portuguesa.

Mas desenganem-se! Independentemente do destino da Uber em Portugal, por aqui, na minha familia, a Uber vai continuar, pelo menos até o meu filho fazer os 18 anos e tirar a carta (mas este é tema para um outro post, que pouco anseio).

O meu filho há muito que usa a Uber (só não lhe atribuiamos um nome porque até às uns meses atrás não sabíamos da sua existência):

- Mãe, amanhã tenho de estar no treino às 19h.

- Pai, tens de me ir buscar à escola porque saio mais cedo e não há autocarro.

- Mãe, como amanhã vai chover vai me buscar à escola às 13:30.

- Amanhã tenho um jantar de aniversário, podes ir levar-me e buscar-me? E já agora podes levar a M. (a namorada, já agora)....

E esta noite, porque está a participar nas gravações duma série, lá foi o pai buscá-lo às 2h da manhã.

 

Mas não pensem que me queixo. É verdade que já não tenho a agilidade de outros tempos e uma noite mal dormida deixa-me KO pelo menos por uma semana. Mas prefiro este serviço exclusivo a imaginar que caminha a passos largos para a sua independencia e a carta de condução é só o primeiro passo. E os 18 anos estão já aí em Abril.

 

Sou uma Uber exclusiva, dedicada, sempre disponivel e nao remunerada.

A melhor remuneração que posso ter é saber que o apoio a crescer, que o ajudo a ser feliz. A recompensa é vê-lo adulto encaminhado no seu percurso profissional e na sua vida pessoal (e saber que nós, pais, contribuimos duma forma positiva).

 

(vou tentar adiar esta coisa da carta de condução o mais que puder ... Coisas de mãe galinha).

 

04.Jan.18

Resoluções 2018

Primeiro que tudo, votos de um ano 2018 fantástico para todos aqueles que tem a coragem e disponibilidade de ler os meus devaneios.

Em 2018 conto fazer algumas mudanças, que partilho aqui convosco:

1º Escrever mais no blog

    Este blog foi uma novidade em 2017. E apesar de ser algo que já esperava um dia concretizar, só o ano passado me dediquei e pus mão à obra. Este cantinho tem-me feito tão bem pela possibilidade de escrever o que penso mas também de poder partilhar convosco as minhas e vossas ideias.

2º Tirar um curso online

    Tenho saudades de estudar. Mas como o tempo não é muito, os cursos online são uma boa solução. Estou tentada a arriscar no curso de marketing digital. Vem no seguimento da minha formação académica e penso que me ajudaria na promoção do meu negócio.

3º Cuidar mais de mim

     Cumpro os mínimos mas já não vou para nova e as rugas, as mazelas, começam a querer chatear-me. Nada de especial. Mas um bom creme para o rosto e um cuidado regular com o corpo poderão ajudar a atenuar e a atrasar as marcas da idade.

4º Fazer exercício físico

Vem um pouco na sequencia do tópico anterior. E não é fazer mais. É mesmo fazer algum (porque por agora nada). E claro nota-se na balança e na roupa. 79 kg que tem de baixar para os 73. Não que esteja preocupada em fazer má figura de biquini mas não me sinto bem. A alimentação terá de mudar também.

5º Confraternizar mais com os meus amigos

Tenho poucos amigos mas bons. Quando preciso de alguma coisa estão sempre lá e vice-versa. Mas acontece que, moramos a pouco mais de 3km de distancia e passamos meses sem nos vermos ou até falarmos. Não, basta! Decidimos marcar um jantar, no primeiro sábado de cada mês, na casa de um de nós. É importante falarmos, divertirmo-nos e manter acesa a chama da amizade.

6º Ler mais livros

Gosto muito de ler mas desculpo-me com o pouco tempo que tenho para ler cada vez menos. Leio por ano 1 a 2 livros (e graças às férias de verão). Mas esta estimativa tem de subir. Bem sei que nunca vou conseguir acompanhar o registo que vejo por aqui, de alguns bloggers que sigo. Mas pouco é melhor que nada. Vou aproveitar as horas de espera no treino do meu filho para ir melhorando esta tendencia.

7º Ir mais ao cinema

No ano passado, e no outro... e no outro..., não pus os pés no cinema. Bem sei que hoje podemos estar actualizadas e acompanhar as novidades no conforto do nosso sofá. Mas não é a mesma coisa. Tenho saudades de ir ao cinema, das pipocas, de sair. Pelo menos duas vezes este ano é o objectivo.

8º Viajar

Este é dos tópicos que mais me marcam e me deixam saudades. Desde 2004 que viajava para fora todos os anos mas, com a abertura do negócio em 2014 tudo mudou por várias razões. Ultimamente só em trabalho para Espanha (valeu a visita a Valência no ano passado).Tenho tantas saudades de conhecer outras culturas, outros cheiros e sabores. Vamos lá retomar estas viagens que para mim são elas que apimentam a nossa vida. Devo começar já pela ilha da Madeira que ainda não conheço.

São estas as minhas resoluções principais para este ano. No final do ano farei o balanço e logo vos direi se fui cumpridora ou não.

Que o melhor de 2017 seja o pior de 2018!